Narrativas sobre o patrimônio Rodrigo Melo Franco de Andrade, redes de sociabilidade e a escrita do patrimônio na Revista do Patrimônio (1937- 1945)

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

André Fabrício Silva
Priscila Faulhaber

Resumo

O Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN) foi o um dos primeiros órgãos a estabelecer uma narrativa oficial sobre o patrimônio cultural no Brasil. Criado em 1937, teve como primeiro diretor Rodrigo Melo Franco de Andrade, que permaneceu no cargo até o ano de 1967. Dentre as medidas de proteção ao patrimônio, Rodrigo Melo Franco de Andrade cria a linha editorial do SPHAN, com as séries Publicações do SPHAN e Revista do Patrimônio, que se tornou um espaço de legitimação das ações do órgão. A Revista do Patrimônio apresentou, durante o período do Estado Novo, uma variedade de autores que procuraram, por meio dos artigos publicados, elaborar distintas narrativas sobre o patrimônio histórico e artístico nacional. O presente trabalho, a partir da perspectiva que envolve o universo editorial e destacando a figura do editor, pretende analisar a dinâmica interna desta rede de sociabilidade, procurando compreender em que medida Rodrigo Melo Franco de Andrade, como editor da revista, articulou, de acordo com seus interesses, a escrita sobre o patrimônio histórico e artístico nacional consagrada por meio da Revista do Patrimônio.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos