A ativação valorativa das histórias de vidas no Museu da Pessoa

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Raquel Alvarenga Sena Venera
Maureen Bartz Szymczak

Resumo

O reconhecimento de histórias de vidas como patrimônios no Museu da Pessoa/SP demanda problematizações acerca das ativações valorativas no campo do patrimônio cultural. Esse artigo primeiramente é um exercício para criar um movimento heurístico no campo do patrimônio a partir das histórias de vidas. Debate as tensões valorativas do patrimônio ao centralizar a vida humana ou as narrativas sobre. Desenvolve-se como um ensaio dialogando com diferentes autores: os sentidos de cultura em Eagleton e de objetos-pessoa em Heinich; as reflexões de Meneses acerca dos valores patrimoniais; e ainda as armadilhas da diferença apontadas por Pierucci. Chega-se, assim, a uma proposição de que a ativação das histórias de vida como patrimônios culturais no Museu da Pessoa passa pela possibilidade de pensarmos a experiência dos outros como uma condição de reconhecimento de si diante da experiência ordinária do comum.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos